29 Maio 2017

Tomada de posse: Bastonário quer uma classe coesa e aberta para o conhecimento

Foi empossado esta quarta-feira, 24 de Maio, em Maputo, o novo Bastonário da OrdEM, o Eng. Ibraimo Remane, numa cerimónia que contou com a presença de vários convidados, entre o quais os Bastonários de outras classes profissionais.

O evento iniciou com a realização de uma palestra subordinada ao tema “Projecto de Monitoria de Reservatórios de Gás na Perspectiva do Regulador”, que despertou muito interesse aos presentes.

Seguiu-se a cerimónia de empossamento do Bastonário pelo Presidente da Mesa da Assembleia Geral da OrdEM, Eng. Nelson Beete.

Já no seu discurso inaugural, após a assinatura dos termos de tomada de posse, o Eng. Remane reconheceu o trabalho de todos que dirigentes da OrdEM que o antecederam, realçou os desafios que a OrdEM tem pela frente e apontou as linhas mestras que guiarão as suas acções na qualidade de Bastonário. Nesta senda, comprometeu-se a dar seguimento aos objectivos e trabalho desenvolvidos pelo seu antecessor, o Eng. Augusto de Sousa Fernando.

“Muito do que tem que ser feito está plasmado nos documentos normativos da OrdEM e no programa de candidatura do Exmo. Bastonário que me antecedeu, cabendo a esta direcção motivar todos e cada um de nós, membros desta OrdEM, e buscar as parcerias institucionais necessárias para a sua efectivação”, referiu o Bastonário para quem a participação decisiva da OrdEM no desenvolvimento do país exige empenho, disponibilidade e sobreposição dos interesses colectivos sobre os particulares.

Remane entende que a OrdEM tem estado a conquistar reconhecimento das instituições relevantes do País, citando como exemplo, o Ministério de Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos (MOPHRH) que recentemente passou para a OrdEM a competência do registo de engenheiros para exercício desta profissão.

“O desafio, agora, é respondermos cabalmente a esta função que nos é outorgada pelo Governo, não defraudando as suas expectativas, criando os mecanismos eficazes para que esta tarefa seja implementada de imediato, e de forma segura,” sustentou.

Diálogo com todos

Para o alcance deste desiderato, o Bastonário defende a ideia de se prosseguir com diálogo junto do Ministério para a apreensão de conhecimento e experiências sobre essa matéria. Esse diálogo deve, no entanto, estender-se a outras entidades que exerçam com competência mandatos que são da OrdEM.

Remane esclarece, contudo, que não se trata de tranferir à força as competências ou responsabilidades, mas de paulatinamente ir desempenhando as funções que à luz da legislação da competência da OrdEM.

Ainda na senda do diálogo, o Bastonário falou da necessidade de se valorizar a experiência que os engenheiros foram adquirindo ao longo do seu percurso. “Devemos encetar junto destes engenheiros mais experientes um diálogo com vista a criação de uma atitude de transmissão dos seus conhecimentos a uma pluralidade de jovens engenheiros com menos experiências”, vincou.

A par destas acções de diálogo, o Eng. Remane defende a troca de experiências e de conhecimentos entre engenheiros como meio para a criação de uma classe coesa e sempre aberta ao conhecimento.

A instituicionalização da obrigatoriedade de Carteira Profissional, a promoção dos jovens engenheiros e engenheiras e o estabelecimento de relações de cooperação com as diferentes instituições do País são parte da visão estratégica do Bastonário.

Já a terminar o seu discurso, apelou à colaboração de todos os membros da OrdEM no alcance dos objectivos e comprimento da sua função social. “É importante que assumamos que a nossa OrdEM não sobreviverá se nós não nos dispusermos a dar a nossa colaboração” rematou.