06 Set 2017

Bastonário desafia a academia a aprimorar a formação de engenheiros

images

O Bastonário da Ordem dos Engenheiros de Moçambique (OrdEM) diz que a qualidade do engenheiro deve começar a manifestar-se na universidade e que esta deve fortificar o campo da pesquisa científica.

Segundo Ibraimo Remane, que falava durante a abertura do Congresso Luso-Moçambicano e Congresso de Engenharia de Moçambique, a formação em engenharia e a qualidade das obras públicas são uma grande preocupação da OrdEM. Foi por isso que a OrdEM fez uma profunda reflexão sobre a matéria que serão aprofundadas durante o Congresso e os resultados serão partilhados com o Governo.

No entanto, um dos problemas que de acordo com o Bastonário deveria merecer atenção dos engenheiros em Moçambique tem que ver com as calamidades naturais que assolam o País de forma cíclica. “Entendemos ser papel da Engenharia, nas suas mais diversas especialidades, contribuir para que se encontrem soluções que permitam a mitigação dos efeitos nefastos desses eventos na vida dos nossos concidadãos,” refere.

Para Remane, as reflexões feita durante o Congresso devem traduzir-se em melhores respostas para os problemas globalmente enfrentados.

“Assim, durante os 3 dias, estaremos mergulhados num exercício de reflexão conjunta em torno dos desafios e oportunidades para a Engenharia na cooperação para o desenvolvimento. Estaremos engajados na partilha de saberes e experiências que nos vão permitir atingir as melhores práticas na área que aqui nos une, que é a Engenharia,” considerou.