Mensagem do Bastonário

Caro(a) colega ou visitante,

O presente ano de 2020 é mais um repleto de desafios para a nossa jovem OrdEM e para a classe que representamos. Queremos nos posicionar de uma forma estratégica como uma organização que contribui de forma cada vez mais efectiva para o desenvolvimento de Moçambique. Estamos cientes, no entanto, que a qualidade do nosso contributo está dependente das nossas condições como OrdEM e como engenheiros.

Como organização precisamos estar cada vez mais munidos de ferramentas materiais e tecnológicas que nos permitam agir atempadamente em defesa dos interesses da classe e participar a nível social de debates que elevem qualidade do produto de engenharia.

Porém e ainda como organização, continuamos a enfrentar muitos desafios, boa parte dos quais estão plasmado no nosso Plano Estratégico. Nesse instrumento, aprovado há três anos e já em implementação, está estabelecida desde a necessidade de definir-se o perfil do engenheiro, passando pela participação da OrdEM no processo de acreditação dos cursos de engenharia, promoção de estágios profissionais por colégios, promoção dos cursos obrigatórios de ética e deontologia profissional até a melhoraria da nossa comunicação e imagem, só para citar alguns. Mais ainda, temos como prioridade o desafio de estabelecer uma sede própria.

Devemos estar sempre aptos a discutir continuamente a nossa qualidade como profissionais e a formação dos nossos mais novos engenheiros. Temos uma grande confiança nos jovens e acreditamos na sua capacidade de criar. Acreditamos que com uma eficaz orientação profissional podem tornar-se profissionais de enorme qualidade. Para isso, foi aprovado o Regulamento Geral de Estágio de Admissão a Membro da OrdEM que dará aos recém-formados a oportunidade de testar na prática o seu conhecimento teórico.

Caros(as), nos aproximamos aos poucos do número 4.000 membros inscritos na OrdEM, é nosso desejo que esse crescimento númerico reflita-se no dia-a-dia da OrdEM e na qualidade de debate de ideias que sempre defendemos e incentivamos. Por outro lado, sabemos que há ainda um número não definido de profissionais com grau de licenciatura a exercerem engenharia no país sem que estejam inscritos na OrdEM, contrariando a Lei nº 16/2002, de 26 de Junho, que cria a Ordem dos Engenheiros de Moçambique.

Todos esses aspectos colocam-nos um desafio maior, o de reflectir continua e conjuntamente para encontrarmos os melhores caminhos e soluções para os desafios que enfrentamos, tanto como OrdEM, assim como engenheiros, num ambiente de debate aberto, franco e construtivo.

Queremos, por isso, reiterar o nosso convite para uma cada vez maior colaboração de todos.

E porque neste ano termina o mandato da actual direcção da OrdEM, serão oportunamente solicitadas candidaturas para a eleição da nova direcção pelo que se apela desde já a todos que se possam interessar a preparar as candidaturas, bem como as respectivas equipas de trabalho para concorrer nesse escrutínio.

Ibraimo Remane

Por uma OrdEM dinâmica, consolidada e inclusiva